Blogs da Cognex

Quais são as Normas ISO para Verificação de Código de Barras?

A Organização Internacional de Padronização (ISO), fundada em 1947, é um órgão de estabelecimento de normas composto por representantes de várias organizações nacionais de normas. Existem centenas de normas ISO, algumas das quais referentes a códigos de barras—como os dados são inseridos em um código de barras, como decodificá-lo, como determinar o tamanho do código de barras e muito mais. Existem apenas três normas ISO relacionadas à qualidade do código de barras. Essas três normas são: ISO 15416 para códigos de barras 1D, ISO 15415 para códigos de barras 2D baseados em etiquetas e rótulos e ISO/IEC TR 29158, ou AIM DPM, para códigos 2D DPM.

ISO 15416

Essa norma ISO de código de barras 1D requer que 10 linhas de digitalização individuais sejam tomadas ao longo da altura de um código e uma classificação atribuída a cada linha de digitalização. As classificações das linhas de digitalização são determinadas por muitos parâmetros diferentes. Se uma linha de digitalização falhar na refletância mínima, decodificação ou contraste mínimo de borda, a linha recebe automaticamente uma classificação “F”. Se todos os três passarem, o software classifica os parâmetros de contraste, modulação, defeitos e decodificação dos símbolos. Cada um deles é classificado em uma escala de A a F. Uma vez que cada linha de digitalização tenha sido classificada, as 10 digitalizações são calculadas para gerar uma classificação formal para o código de barras.

Refletância Mínima verifica se as barras são escuras o suficiente para atender a proporção necessária de luz refletida nos espaços.

Barras muito leves
Contraste de Borda mede a diferença entre as barras e espaços adjacentes.

Plano de fundo muito escuro
Modulação se refere a variações locais em contraste.

Contraste localizado
Decodificar verifica se o código pode ser lido usando o algoritmo de decodificação de referência padrão.

Símbolo lido? S/N
Defeitos incluem erros de impressão, sujeira ou marcações que afetam uma única barra ou espaço.

Irregularidades
Decodificação classifica a precisão das larguras das barras e espaços em relação ao seu tamanho ideal. Um código de barras com distorção ou crescimento da largura da barra terá uma baixa classificação de decodificação.

Crescimento/Perda ou Distorção da Largura da Barra

ISO 15415

Esta norma classifica códigos de barras 2D em 8 parâmetros diferentes. A classificação individual mais baixa se torna a classificação geral do código. O processo de classificação começa com um teste de aprovação/reprovação. Se o código puder ser decodificado, ele passará no primeiro teste. Se não puder, lhe é automaticamente atribuído uma classificação “F”. Algumas perguntas a serem feitas para determinar os motivos de uma não decodificação incluem:

  • Você está usando a abertura, a norma ISO e o ângulo de iluminação corretos?
  • A simbologia está ativada? A câmera está focada?
  • O código está no centro do campo de visão (FOV)?
  • Os tamanhos das células parecem proporcionais entre si?
  • Todos os componentes do padrão localizador estão presentes?

Depois que um código é decodificado, os seguintes parâmetros são classificados.

Contraste de Símbolo se refere à diferença entre os módulos mais escuros e os mais claros.
Modulação mede variações locais em contraste.
Dano de Padrão Fixo inclui erros com os lados L, padrão alternado ou com a zona de silêncio.
Não Uniformidade Axial se refere ao dimensionamento desigual do código.
Não Uniformidade de Grade mede o maior desvio da grade.

ISO/IEC TR 29158 (AIM DPM)

Os parâmetros de qualidade e o processo de classificação dos códigos DPM são semelhantes à ISO 15415, com algumas diferenças importantes. A primeira é a maneira como o limite global é determinado. O limite global é essencialmente a linha divisória entre as células claras e escuras. O local em que essa linha é desenhada é muito importante, pois define se uma célula está mais próxima da luz ou da escuridão. Para acomodar uma variedade de superfícies de fundo, o AIM DPM calcula o limite global usando um algoritmo mais sofisticado que o ISO 15415. A modulação geralmente melhora como resultado. O AIM DPM também permite o uso de iluminação de 30, 45, 90 graus e domo. Isso possibilita a verificação de peças curvadas, reflexivas ou marcadas usando micropunção.

Alguns comitês do setor também desenvolveram normas de aplicação que especificam contra qual dessas normas ISO você deve avaliar. Essas indústrias incluem dispositivos médicos, varejo, transporte, serviço de alimentação e o departamento de defesa dos EUA.

Para saber mais sobre as normas ISO e entender os resultados da verificação, assista ao seminário on-line sob demanda gratuito: Compreendendo os resultados da verificação de código de barras.

Mais Publicações nos

ACESSE O SUPORTE E TREINAMENTO DE PRODUTOS E MAIS

Junte-se ao MyCognex

TEM ALGUMA PERGUNTA?

Os representantes da Cognex estão disponíveis em todas as regiões do mundo para ajudar com as suas necessidades de visão e leitura industrial de códigos de barras

Fale Conosco
Loading...